Entrevista com Roseane Bob sobre FLV IV Gama

Entrevista com Roseane Bob sobre FLV IV Gama

FLV IV Gama

Mercado em ascensão, mais ainda precisa superar alguns problemas

 

 

roseaneRoseane Bob é nutricionista, especialista em Segurança de Alimentos e Vigilância Sanitária (pela USP) e em frutas, legumes e vegetais minimamente processados (pela UFL-MG). Consultora do Programa de Alimentos Seguros do Sesi/Sesc/Senac/Sebrae/Senai/Anvisa e auditora do Selo Aberc de Qualidade Empresarial. Desde de 2004, atua e dedica-se exclusivamente à cadeia produtiva de frutas, legumes e hortaliças minimamente processados. É diretora técnica e sócia-proprietária da VegQuality. Nesta entrevista exclusiva, Roseane  traça um panorama desse segmento, destacando sua importância para os operadores de Food Service, para o varejo e o consumidor final. 

Alimentare – Para que todos entendam o que vêm a ser Frutas, Legumes e Verduras minimamente processados (FLV IV Gama) e sua diferença com FLV porcionados e embalados?

Roseane – FLV IV Gama são frutos, legumes e verduras em seu estado natural que foram cortados, picados e higienizados, embalados e disponibilizadas ao consumidor PRONTOS PARA O CONSUMO, muito conhecidos no Brasil como minimamente processados. Já quando se trata de FLV porcionados  – frutas, legumes e verduras cortados, picados e embalados, porém  não higienizados –  não estão prontos para o consumo.

Alimentare –  Como os FLV IV Gama têm evoluído no mercado internacional nos últimos anos? Aponte algumas características desses produtos? 

Roseane – Nos países desenvolvidos com destaque para a França, Espanha, Itália, EUA, Austrália,  os FLV IV Gama são uma realidade e  apresentam-se consolidados e consumidos em larga escala. Apesar desse fato, são contínuas as  pesquisas que buscam melhorias e inovações no mix de produtos,  tecnologias, principalmente visando  à extensão do shelf life. Para aqueles que desejam aprimorar seus conhecimentos sobre o assunto, aqui vai o convite para participarem do III Workshop Brasileiro FLV IV Gama que neste ano tem como tema central Inovação & Tecnologia. Nesse evento, renomados palestrantes apresentarão as mais recentes tecnologias em maquinarias, embalagens, sanitização, extensão do prazo de validade dos FLV minimamente processados etc.,  aplicáveis para o mercado brasileiro de pequenos a grandes processadores.flv processamento

Alimentare – No mercado internacional, também são consumidos pelo Food Service, além dos consumidores finais?

Roseane – Sim, justificados pela significativa redução das perdas dos frutos, legumes e verduras minimamente processados, os FLV IV Gama,  e pela redução dos custos indiretos da operação. Inclusive há normas específicas de segurança para esses produtores.

Alimentare – Evolução desse mercado no Brasil (há dados de crescimento; volume de produção?), como você avalia?

Roseane – No Brasil, esse mercado cresce dois dígitos ao ano, mesmo em época de crise econômica como infelizmente está atravessando o nosso país. Avalio que é uma excelente oportunidade de negócio em sintonia com as necessidades do consumidor, que exige praticidade, alimentos de qualidade e seguros. Entretanto,  para consolidar  os FLV IV Gama no Brasil, existem muitos desafios a serem superados.

Alimentare  – Quais os principais gargalos que o segmento enfrenta no Brasil?

Roseane – São diversos, mas vou indicar alguns que os mais importantes e que merecem toda a atenção dos profissionais envolvidos com esse segmento. Em relação ao processador de frutas, legumes e verduras:

  • Conhecimento insuficiente do negocio e falta de planejamento;
  • Conhecimento insuficiente da tecnologia de processamento;
  • Maquinarias deficientes;
  • Embalagens inadequadas;
  • Produtos e tecnologia de desinfecção inadequados;
  • Reduzido shelf life;
  • Elevadas perdas da matéria prima e produto final;
  • Deficiência ou ausência da garantia de origem (rastreabilidade) da matéria prima e produto final;
  • Deficiência de controle de pragas na matéria prima e produto final;
  • Cadeia de frio inadequada e/ou deficiente;
  • Insuficiente qualificação profissional dos técnicos e operadores;
  • Ausência de legislação específica que estabeleça as diretrizes para o processamento e segurança dos FLV IV Gama, ou seja, frutas, verduras e legumes minimamente processados.

Pelo lado do consumidor, aponto os seguintes problemas:

  • Desconfiança do produto;
  • Preços elevados quando comparados com o preço desses alimentos sem processamentos.

Alimentare – Aqui há garantia de Segurança desses alimentos? E quanto à Legislação?

Roseane – Pelos fatores acima descritos acima,  a Garantia de Segurança desses alimentos fica comprometida. Até o momento, que seja do meu conhecimento, no Brasil ainda não existe Legislação  especifica para os FLV IV Gama.

Alimentare – Aponte os principais benefícios para os operadores de Food Service utilizarem esses produtos? E inclusive para o varejo?

fotos de minimamente processadosRoseana – Para o consumidor final, praticidade, alimentos para o consumo imediato, alimentos naturais e saudáveis. Para o consumidor institucional, redução das elevadas perdas com frutas, legumes, verduras, redução dos custos indiretos da operação, versatilidade e flexibilidade  dos cardápios, com oferta de alimentos naturais e saudáveis para o consumidor.

Alimentare – Como orientação, quais os cuidados necessários para o Food Service e Varejo quanto aos fornecedores de FLV IV Gama?

Para o consumidor Food Service, recomendamos anterior ao fornecimento, minuciosa auditoria na empresa processadora dos FLV. Tal inspeção deverá realizada por profissional especializado e com experiência no segmento, objetivando evidenciar e avaliar as BPFs (Boas Práticas de Fabricação), com destaque para a higienização, transporte, procedência,  metodologia de processamento empregada e shelf life dos FLV IV Gama. Para o consumidor varejo, a orientação é observar se o produto está sob refrigeração.  Na sequência,  ler o rótulo, observando a procedência,  prazo de validade, orientações para o armazenamento,  a informação  PRONTO PARA O CONSUMO e, em breve, procure pelos produtos  com o Selo de Qualidade VegQuality.

A VegQuality é uma empresa de consultoria pioneira e única no Brasil, especializada e focada  a prestação de serviços e desenvolvimento de soluções para a cadeia produtiva de frutas, legumes e verduras minimamente processados, embalados e prontos para o consumo, da terra à mesa. A empresa foi fundada no Brasil, mas possui suas raízes na Austrália, com a sede no Brasil.  

Categories: Destaques, Entrevista

Sobre o Autor

revistaalimentare

A Revista ALIMENTARE – Com o foco na Gestão da Qualidade e Segurança dos Alimentos e Bebidas (GQSAB) - é direcionada para profissionais, especialistas, pesquisadores e dirigentes da Cadeia Produtiva de Alimentos e Bebidas: Indústria de Alimentos & Bebidas, Food Service e Varejo de Alimentos. Tem como missão levar aos leitores as informações mais atualizadas e confiáveis, que possam contribuir para o melhor desempenho e competitividade dessas atividades.

Comentários

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*